Primeira rodoviária do Brasil foi criada em Vacaria

2 de mai. de 2020


Difícil imaginar que décadas atrás quando alguém precisava viajar de ônibus não era necessário se deslocar a uma rodoviária. Pois é, o comum era esperar o ônibus em hotéis, esquinas, ou até mesmo na frente de casa, o que é claro gerava diversos atrasos e reclamações, pois era praticamente impossível controlar os horários previstos para embarque.

Foi então que o empresário Vespasiano Júlio Veppo, proprietário do Cinema Guarany em Vacaria, e seu amigo, o jornalista Júlio Castilhos de Azevedo, após uma conversa cotidiana tiveram a ideia de criar um local fixo para o embarque e desembarque de passageiros. Vespasiano dependia do transporte de ônibus e trens para receber as latas de filmes e assim projetá-las na tela de seu cinema, e Júlio em decorrência de sua profissão, precisava viajar muito, portanto era um grande usuário do transporte rodoviário.

A primeira rodoviária do Brasil criada em Vacaria em 1939. Foto: GaúchaZH


Após um pedido junto ao Departamento de Estradas e Rodagens do Rio Grande do Sul (DERRS), Vespasiano e Júlio criam a Veppo & Cia Ltda, e convencem empresários do ramo rodoviário a aderirem a ideia deles, dois empreendedores e idealizadores de um projeto que se tornaria referência na maioria das cidades do Brasil.

Então, no dia 19 de abril de 1939 em caráter experimental, é inaugurada a primeira estação rodoviária do Brasil em Vacaria. Junto ao local posteriormente funcionaria um café colonial, preparado por Valdomira Borges Veppo (esposa de Vespasiano), o que tornava o empreendimento ainda mais atrativo para passageiros que transitavam por ali.
Atual estação rodoviária de Vacaria. Foto: Tua Rádio Fátima


Segundo relatos, mais tarde devido ao sucesso do empreendimento, Vespasiano viria a administrar as rodoviárias de Caxias do Sul e Porto Alegre.

APROCHEGUE E CONFIRA

0 comentários

Muito obrigado por sua participação. Seu comentário será publicado em breve. Publicamos nossos posts novos lá no Facebook - caso desejar deixar seu comentário por lá e seguir o blog, o Repórter Riograndense te espera!