quarta-feira, 24 de junho de 2020

Música gaúcha com Marcello Caminha na Ecarta

Seguindo no modelo de transmissões online, o projeto Ecarta Musical, da Fundação Ecarta, traz, no sábado (27), canções gaúchas tocadas pelo compositor e instrumentista Marcello Caminha, no violão e voz, e pelo filho Marcello Caminha Filho, no contrabaixo.


Marcello Caminha. Foto: Patrício Contreras


O show Violão Gaúcho combina canções instrumentais e cantadas por Caminha retratando as imagens que configuram a cultura e o folclore do Rio Grande do Sul. O músico está há 35 anos na cena musical e, além de percorrer parte do Brasil, se apresentou na Argentina, Alemanha, Londres e em Portugal.


No repertório (abaixo) haverá músicas autorais dos álbuns "Imagens" e "Influência", projetos reconhecidos que renderam premiações.

 

 

A transmissão acontece às 18h via youtube, facebook e instragram da Ecarta.

 


Repertório:


- Kilometro 11


- Esquilador


- Milonga abaixo de mau tempo


- Apaysanado


- Imagens


- Alguém distante


- Estâncias da fronteira


- Flor de campo


- Lá na fronteira


- De todo laço


- Milonga redomona


- Motivos de campo


- Chamando a cria


- Gaúcha



Youtube: https://www.youtube.com/channel/UChw0bfi8tYPEGrGN2-r49ug


Facebook: fundacao.ecarta ou ecartamusical

 

Instagram: fundacaoecarta

 

Site: www.ecarta.org.br

 


terça-feira, 16 de junho de 2020

Porca Véia

Filho de Julieta da Rosa Xavier e Lauro Nunes Xavier, Élio da Rosa Xavier, mais conhecido como Porca Véia nasceu na cidade Lagoa Vermelha, Rio Grande do Sul no dia 2 de março de 1952.

 Foi produtor rural até aos 16 anos de idade. Começou sua carreira artística com seis anos de idade por influência da família, onde havia muitos músicos amadores. Fez curso de técnico agrícola, quando ganhou o apelido de "Porca Véia" que foi seu nome artístico durante toda sua carreira.

Porca Véia. Foto: Diogo Sallaberry / Agencia RBS

Participou de muitos festivais e apresentou-se com Kleiton e Kledir nas melhores casas de espetáculo do Brasil, como o Canecão do Rio de Janeiro e no Palace em São Paulo.

Porca Véia criou e dirigiu o grupo musical Cordiona, um grupo de baile fandangueiro. Recebeu vários títulos, como Cidadão Honorário, comendador da Brigada Militar, Amigo da Brigada e Destaque Musical.

Ele foi indicado duas vezes para o Prêmio Açorianos: em 2005 como Instrumentista de Música Regional e 2011 como Intérprete de Música Regional.

Durante sua trajetória, Porca Véia gravou 21 CD´s e três DVD´s. Ganhou duas vezes o Disco de Ouro.

Casou-se no dia 28 de agosto de 2009, em Curitibanos, Santa Catarina  com a catarinense Claudinéia Aparecida Bossardi. Depois de 33 anos nos palcos, Porca Véia anunciou que sua carreira artística terminará no fim de 2013.

Porca Véia finalizou sua carreira em 28 de dezembro de 2013, no pavilhão da Festa da UVa, em um grande show com a presença de quase 5 mil pessoas. Contou também com convidados como Renato Borghetti, Yamandu Costa, Daltro Bertussi e Luiz Carlos Borges.

Porca Véia faleceu em 12 de junho de 2020, aos 68 anos de idade, após sofrer duas paradas cardíacas. Ele estava internado no Hospital Regina, em Novo Hamburgo onde ele fazia seções de hemodiálise, por causa da insuficiência real, três vezes por semana.

domingo, 31 de maio de 2020

CTG Porteira do Rio Grande recebe a inscrição de uma chapa

O CTG Porteira do Rio Grande recebeu na tarde deste domingo (31), a inscrição da única chapa para concorrer a patronagem da entidade. A chapa, de situação, é liderada por Elvio Guagnini Rossi, atual patrão do CTG.

A eleição está prevista para ocorrer no dia 20 de junho 2020, a partir das 9 horas, respeitando o Decreto Municipal que dispõe sobre medidas de prevenção e enfrentamento ao surto de pandemia de Coronavírus (COVID-19).



Elvio tem uma grande história com o CTG Porteira do Rio Grande. Além de ser patrão no último biênio, quando realizou o 33º Rodeio Crioulo Internacional de Vacaria, ele também foi patrão da campeira no período de 2014-2016. Participou das invernadas de danças mirim, juvenil e adulta, além de ter colaborado em diversos rodeios. Elvio é integrante do Quadro de Laçadores Sestiada da Querência.

CHAPA INSCRITA
PATRÃO

Elvio Gianeto Guagnini Rossi

Elisiane Rech Rossi

CAPATAZ

Ruben Antônio Santos Filho

Betina Rech

SOTA CAPATAZ

Evandro Alves Maciel

Monica Lisboa Finger

PRIMEIRO TESOUREIRO

Igor Coelho Venson

Cleomar Lima Venson

SEGUNDO TESOUREIRO

Paulo Leonardo Machado

Aline Almeida Castilhos

PRIMEIRO SECRETÁRIO

Luís César Lisbôa

Valdirene Rech Lisboa

SEGUNDO SECRETÁRIO

Claiton de Freitas Carneiro

Viviane Rech Carneiro

PATRÃO DA CAMPEIRA

Jeferson Araldi de Camargo

Taíse Conte de Camargo

PATRÃO DA ARTÍSTICA

José Ivandel Lima Junior

Fabiana Duarte Lima

CONSELHO DE VAQUEANOS

Alberto Carlos Paganella

Gilseu Pereira da Silva

Ironita de Lord Bueno Guerreiro

Luis Alfredo Horn Junior

Luiz Carlos Bossle da Costa

Mara Valmorbida Barcelos

Paulo Ricardo Ossani

SUPLENTES

Demoncel Duarte Stumpf

Jair Maciel Lisboa

Texto e foto: Assessoria de Comunicação do CTG Porteira do Rio Grande


sábado, 2 de maio de 2020

Tô na Quarentena, por Érlon Péricles e Pirisca Grecco.


Érlon Péricles e Pirisca Grecco decidiram lançar uma nova canção nesse momento em que todos estão precisando ficar em suas casas e galpões. Mesmo no sítio, é preciso cuidar, pois há funcionários e de tempos em tempos é preciso ir na cidade. E para quem mora na cidade e gosta de um baile gaudério, o jeito é acompanhar as lives de nossos artistas.

Em um tom bem humorado, os artistas cantam nosso momento. Veja a letra e música a seguir:




Tô na quarentena
Guardei as chilena
Que coisa brasina,
Recolhi as oveia,
Me encerrei no rancho
Mudei de rotina,
Quase nem respiro
E cuido os espirros
Porque contamina,
Ando meio ansiado
Mas fui obrigado
Entrar nesse clima...

Lavo as mão no “alco”,
Passo criolina!!
Paremo o serviço
Por causa do bicho
Atrasamo as doma...
Guaiaca apertada,
Que baita cagada,
Me fez o corona!

Ô vírus malvado,
Falaram no rádio
Que veio da China...
Chegou a galope
Fechou o comércio,
Baixô a gasolina...
Passemo a semana
Varrendo o galpão,
Fazendo faxina,
O bicho é manhoso
Pra baixar seu toso
Requer disciplina...

Lavo as mão no “alco”
Passo criolina!!
Faço a minha parte
Mateio solito cedo da matina,
Tô longe dos veio
Cumprindo a distância
Que se determina.
Lá na capital
Já tão pesquisando,
Buscando a vacina...
Pode inté dá tempo
De dançá uma marca
Nas festa junina...

Lavo as mão no “alco”
Passo criolina!!
Fiquemo em casa,
Fiquemo em casa...
O corona é vírus
Mas “nós semo praga”!!

Primeira rodoviária do Brasil foi criada em Vacaria


Difícil imaginar que décadas atrás quando alguém precisava viajar de ônibus não era necessário se deslocar a uma rodoviária. Pois é, o comum era esperar o ônibus em hotéis, esquinas, ou até mesmo na frente de casa, o que é claro gerava diversos atrasos e reclamações, pois era praticamente impossível controlar os horários previstos para embarque.

Foi então que o empresário Vespasiano Júlio Veppo, proprietário do Cinema Guarany em Vacaria, e seu amigo, o jornalista Júlio Castilhos de Azevedo, após uma conversa cotidiana tiveram a ideia de criar um local fixo para o embarque e desembarque de passageiros. Vespasiano dependia do transporte de ônibus e trens para receber as latas de filmes e assim projetá-las na tela de seu cinema, e Júlio em decorrência de sua profissão, precisava viajar muito, portanto era um grande usuário do transporte rodoviário.

A primeira rodoviária do Brasil criada em Vacaria em 1939. Foto: GaúchaZH


Após um pedido junto ao Departamento de Estradas e Rodagens do Rio Grande do Sul (DERRS), Vespasiano e Júlio criam a Veppo & Cia Ltda, e convencem empresários do ramo rodoviário a aderirem a ideia deles, dois empreendedores e idealizadores de um projeto que se tornaria referência na maioria das cidades do Brasil.

Então, no dia 19 de abril de 1939 em caráter experimental, é inaugurada a primeira estação rodoviária do Brasil em Vacaria. Junto ao local posteriormente funcionaria um café colonial, preparado por Valdomira Borges Veppo (esposa de Vespasiano), o que tornava o empreendimento ainda mais atrativo para passageiros que transitavam por ali.
Atual estação rodoviária de Vacaria. Foto: Tua Rádio Fátima


Segundo relatos, mais tarde devido ao sucesso do empreendimento, Vespasiano viria a administrar as rodoviárias de Caxias do Sul e Porto Alegre.

sábado, 11 de abril de 2020

Bozo é vacariano


Nascido em Vacaria no dia 04 de fevereiro de 1951, Wanderley Tribeck não imaginava que um dia ganharia o mundo e se tornaria tão popular. Funcionários do DNER (Departamento Nacional de Estradas e Rodagens) os pais de Wanderley se mudaram para Vacaria com o intuito de ajudar na construção da ponte do rio Pelotas, sendo seu pai um dos engenheiros responsáveis pela atual ponte que liga Lages (SC) a Vacaria (RS).

Aos seis anos Wanderley se muda para Lages e lá descobre sua vocação de artista participando de alguns grupos de teatro na cidade, mas foi aos dezessete anos que Wanderley toma uma decisão fora do comum e inusitada. Totalmente contra a vontade de seus pais Wanderley foge com um circo que estava de passagem, e mal sabia ele que essa fuga seria o início de um aprendizado extremamente útil no seu futuro.

Wandeco Pipoca – o primeiro Bozo brasileiro (Veja São Paulo/Divulgação)


Anos depois durante uma participação no programa Silvio Santos, Wanderley recebe uma indicação do cantor Ari Sanches para participar de um concurso que iria eleger um palhaço para comandar uma nova atração na TVS (atual SBT) chamado “Programa do Bozo”, uma franquia americana de grande sucesso mundial. Wanderley cumpriu diversos requisitos exigidos pela equipe, e mesmo concorrendo com grandes nomes da época como Moacyr Franco, Valentino Guzzo, e até mesmo o próprio Silvio Santos, em 1979 ele foi escolhido como o primeiro Bozo do Brasil.

Como Bozo, Wanderley atingiu o ápice de sua carreira, alcançando prêmios desejados pelos melhores artistas, como cinco troféus imprensa, três discos de ouro, três de platina, foi embaixador da boa vontade pela UNESCO nos Estados Unidos, teve o maior salário da televisão em sua época, e também foi considerado o melhor palhaço do mundo.

Em 1982, Wanderley deixa o personagem Bozo e muda de emissora para ter seu próprio programa, dessa vez de “cara limpa” surge a “Turma do Pipoca” na TV Gazeta. O programa fez um grande sucesso, e revelou muitos artistas conhecidos como Eliana, Mara Maravilha, Sérgio Malandro, entre outros.

Após a saída da TV Gazeta Wanderley estreou os programas “Sábado Feliz” e “TV Criança” ambos na TV Bandeirantes, e também participou do programa “A Arte de Fazer Rir” na emissora RedeTV.

Nos anos 1990 Wanderley deixa sua carreira de lado e se muda para Balneário Camboriú (SC) procurando novos rumos, mas nem tudo são flores em sua vida, e após alguns anos tudo começa a mudar. Em meados dos anos 2000, Wanderley passa por um período difícil, entregue as drogas e ao álcool Wanderley perde sua família e cai em total depressão, chegando a morar na rua por um curto período de tempo.

Após pedir emprego em um posto de gasolina, o dono do estabelecimento o convida para participar de um culto na igreja Assembleia de Deus, e ele aceita. Passado algum tempo Wanderley abre um restaurante que se torna referência na cidade, recupera sua família e sua riqueza, e inicia também uma jornada religiosa em agradecimento ao seu retorno a vida.

Atualmente ele reside em Criciúma (SC) e trocou a vida do restaurante pelo altar da igreja. Membro na Assembleia de Deus da cidade, Wanderley congrega ao lado do Pastor Roberto e prega por todo o Brasil, chegando a ficar três meses fora de casa, mas como ele mesmo relata, não a nada mais gratificante do que retribuir as pessoas o que Jesus fez por ele.


sexta-feira, 10 de abril de 2020

Estátua de Nossa Senhora da Oliveira – padroeira de Vacaria


No dia 08 de dezembro de 1952 durante uma grande festividade religiosa, era inaugurada a estátua de Nossa Senhora Oliveira, colocada no alto, entre as torres da catedral que dá nome a santa.

O interessante é saber como ela foi parar lá, sabendo que o projeto original da catedral não possuía nenhuma imagem na estrutura.

Atualmente, a estátua de Nossa Senhora da Oliveira entra-se ao lado da Catedral de Vacaria. Foto: Mateus Rosa


Pois bem, conta-se que Nicolau Chedid, morador da cidade, em uma promessa pessoal a santa pediu a cura de sua filha doente, e em troca como agradecimento ele colocaria uma grande imagem entre as torres da igreja.

De fato, a promessa se cumpriu e a santa foi colocada no alto da catedral. Porém, após muitos anos e algumas avaliações, foi constatado que a imagem estava abalando a estrutura da catedral. Foi então que no dia 24 de dezembro de 2010 (após 58 anos) os moradores presenciaram em uma espécie de "evento" a retirada da imagem.

A santa foi colocada ao lado da igreja onde recebe até hoje inúmeras visitas e orações, se tornando mais um símbolo da nossa querida Vacaria.


Clique aqui para conferir a história da Catedral Nossa Senhora da Oliveira de Vacaria

quarta-feira, 8 de abril de 2020

Vacaria no cinema – filme Pára Pedro com José Mendes

Em 1969, Vacaria parou para receber os holofotes do cinema. Sim, muitas pessoas não sabem, mas José Mendes prestou essa homenagem aos vacarianos.

Sob a direção de Pereira Dias e com a participação da atriz Leonora Côrte-Real e do ator Dimas Costa, o filme Pára Pedro lotou as sessões de cinema em todo o Rio Grande do Sul.



José Mendes, um dos maiores cantores gauchescos do século XX, nasceu em Machadinho e foi morador de Vacaria quando prestou serviço militar na cidade. O cantor não imaginava que Vacaria seria cenário de um de seus filmes de maior sucesso.

Segundo relatos da época, as pessoas faziam fila nos cinemas de Vacaria para assistir o tão esperado longa gravado na cidade
O filme contou com a participação de diversos moradores e contou com cenas gravadas na rua Dr. Flores e na rua Ramiro Barcelos / Antiga "Rua do Vinagre". Na ocasião, a antiga casa de Firmino Branco, localizada na rua Franciosi, também foi alvo das câmeras, localidade existente até os dias de hoje.

O filme pode ser visto facilmente pela internet, no YouTube e com certeza irá arrancar muitas risadas dos telespectadores, pois se trata de uma comédia rica em detalhes culturais e de época, vale a pena conferir.


Clique aqui para acessar o link do filme Pára Pedro no YouTube



Clique aqui e confira a biografia de José Mendes

quarta-feira, 1 de abril de 2020

Jornais da RBS TV trocam de trilha sonora


Hoje, 01 de abril de 2020, a RBS TV decidiu modificar a trilha sonora de todos os telejornais, fazendo uma revolução drástica. Há resquícios de semelhança com as trilhas anteriores, mas as mesmas ganharam características de música eletrônica em todas as faixas horárias. Como não há créditos nos jornais, ainda não se pode confirmar se as novas versões também sejam de autoria do músico Jean Presser. Na web, afirma-se que sejam de Paulo Inchauspe, mas não há registro dessas trilhas por Paulo e pela RBS, como ocorreu com Jean nas anteriores.

Atualização (09/04/2020): O Portal Coletiva.net confirmou a contratação de Paulo pela RBS TV.




Você notou as mudanças ao longo da programação? Caso não, veja nos vídeos a seguir:

BOM DIA RIO GRANDE

Antes de Abril de 2020




Após Abril de 2020




JORNAL DO ALMOÇO

Antes de Abril de 2020




Após Abril de 2020




RBS NOTÍCIAS

Antes de Abril de 2020




Após Abril de 2020




domingo, 29 de março de 2020

Milagre – o novo sucesso do Tchê Garotos


No dia 23 de março, o grupo Tchê Garotos lançou o clipe da música “Milagre” em seu canal do YouTube. A música foi composta pelo vocalista do grupo, Luiz Cláudio e Paulinho Queiroz.


Banner de divulgação da música Milagre. Foto: Tchê Garotos/Divulgação


O mais interessante é que o clipe da música foi gravado com cada integrante do Tchê Garotos tocando em sua casa, devido a situação que mundo está passando por causa da pandemia do novo coronavírus (COVID-19).

Além da bela música, os músicos do Tchê Garotos dão exemplo aos todos para ficarem em casa até o fim da pandemia. Todos nós temos que fazer a nossa parte para que o mais rápido possível possamos ver todos nossos artistas novamente em cima dos palcos.

Fiquem com a letra e clipe da música Milagre.



Milagre



À noite no rancho o tempo não passa
Ascendo um palheiro e faço fumaça
Só pra disfarçar, o que eu tô passando
Se ouço um barulho corro na porta
Achando que é ela que está de volta
É duro aceitar, eu já tô pirando

Eu saio pra rua e a vejo na luz do luar
Sereno caindo as estrelas parecem chorar
Por cima do meu chapéu, eu acho que o céu vai desabar

Eu rezo e peço a Nossa Senhora... Aparecida
Me faz um milagre trás ela de volta... Pra minha vida


Composição: Luiz Cláudio e Paulinho Queiroz
Artista: Tchê Garotos




UM BLOG AJOJADO DE SENTIMENTOS