sábado, 24 de agosto de 2019

Festejos Farroupilha de Vacaria 2019


De 9 a 22 de setembro de 2019 acontece em Vacaria os festejos da Semana Farroupilha, evento que celebra o orgulho gaúcho em todo o Rio Grande do Sul.

O tema deste ano é “Mulher Gaúcha – 70 anos de Inclusão no Tradicionalismo Gaúcho Organizado, suas conquistas e participações. ” O patrono da Semana Farroupilha 2019 é cantor César Oliveira e músico Antenor Secco Borssardi receberá da Câmara Municipal de Vacaria o troféu Candeeiro Farrapo.

 A seguir, te aprochega e confira a programação completa:




Programação

16 e 17 de agosto em 2019 – Acendimentos da Chama Crioula em Tenente Portela - RS 20ª RT.

IX ACAMPAMENTO FARROUPILHA ESCOLAR I MOSTRA DE FOTOGRAFIAS: TRADICIONALISTA CIDADÃO

Local: Parque de Rodeios Nicanor Kramer da Luz
Oficinas ministradas por integrantes das Entidades Tradicionalistas acompanhadas pela AASFV, 23ª CRE e SMED e Oficinas com diversas temáticas.

9 de setembro (segunda-feira)

Manhã: GCN Vacaria dos Pinhais   
Horário: 8h30 min as 11h 30 min
10h Café Campeiro
Tarde: Grupo de Cultura Gaúchos de 35
Horário: 13 h 30 min as 16 h 30 min

10 de setembro (terça-feira)

Manhã: CTG Sentinela da Querência
Horário: 8 h 30 min as 11h 30 min
10h Café Campeiro
Tarde: 13h30 min as 16h30 min
15 h Café Campeiro
OBS: O Acampamento será a cargo da mesma
Entidade nos dois turnos.

11 de setembro (quarta-feira)

Manhã: CTG Rancho da Integração
Horário: 8h30 min as 11h30 min
10h Café Campeiro
Tarde: Grupo Veterano Amigos da Tradição
Horário: 13h30 min as 16h30 min
15h Café Campeiro

12 de setembro (quinta-feira)

Manhã: CTG Porteira Do Rio Grande
Horário: 8h30 min as 11h30 min
10h Café Campeiro
Tarde: 13h30 min as 16h30 min
15h Café Campeiro
OBS: O Acampamento será a cargo da mesma Entidade nos dois turnos.

13 de setembro (sexta-feira)

Manhã: GAT Aba Larga
2ª Gincana Cultural Do Acampamento Farroupilha
Horário: 8h30 min as 11h30 min
10h Café Campeiro
Tarde: CTG Querência do Socorro                 
Horário: 13h30 min as 16h30 min
15 h Café Campeiro


14 de setembro (sábado)

IV Concurso Farroupilha Municipal
Local: CTG Rancho da Integração
Cerimonial: Gabe Moraes
9h Prova escrita
11h Mostra folclórica
12h Almoço por adesão
13h Provas artística

15 de setembro (domingo)

Recepção da Chama Crioula
Local: CTG Porteira do Rio Grande
Horário: 8 h

Comenda Araucária
Local: CTG Porteira do Rio Grande
Horário: 10 h

Show Cuerdas y Sonidos
Local: CTG Porteira do Rio Grande
Horário: 12h30min

I Encontro de Gaita e Violão
Local: Sesc
Horário: 14 h

Festejos Farroupilha de Vacaria 2019

13 de setembro (sexta feira)

CTG Sentinela da Querência
Tema: Imigrantes
Anônimas que fazem História e a História não Conta
Grupo Veterano Amigos da Tradição
Tema: Patroas das Entidades Tradicionalistas
Coordenadora Regional, Declamadoras Campeiras
Anônimas que fazem História e a História não Conta

Recepção Chama Crioula
Horário: 8h30 min 
Local: CTG Sentinela da Querência

Fandango
Horário: 22 h
Local: CTG Porteira do Rio Grande
Animação: Grupo Lírios 
Ingresso: R$ 10,00

14 de setembro (sábado)

CTG Querência do Socorro
Tema: Artesanato, a costura e trabalhos com linhas
Anônimas que fazem História e a História não Conta
Apoio: Júlio Boff (materiais de construção), Point Car Veículos, SMED, 23ª CRE
Grupo de Cultura Nativa Vacaria dos Pinhais
Tema: Heroínas e intelectuais gaúchas: Escravas e Guerreiras
Anônimas que fazem História e a História não Conta
Local: CTG Porteira do Rio Grande
Recepção Chama Crioula
Horário: 8h30 min
Mateada
Horário: 14h
15h Palestra: “Memórias de uma História” e Áudio Visual Edgar Branco e Vilmar Boeira.
16h30 min Oficina: “Danças para Fandangos” – Edgar Branco
21h Apresentações Artísticas das Entidades
23 h Baile “Farroupilha”.
Animação: Os Vacarianos
Ingresso: R$ 10,00

17 de setembro (terça-feira)

II Tertúlia Estudantil
Cerimonial: Gabe Moraes
Horário: 18 h 30 min
Local: CTG Rancho da Integração

18 de setembro (quarta-feira)

Local: CTG Rancho da Integração
Cerimonial: Gabe Moraes
Horário: 8h Recepção da Chama Crioula
Cavalgada da Paz – E.E.E.B. Prof. Jose Fernandes de Oliveira
9 h Divulgação Resultado do IV Concurso Farroupilha Escolar
Resultado do I Concurso de Vitrines
21h Sessão Solene da Câmara Municipal de Vereadores – Troféu Candeeiro Farrapo
Animação: Os Qüeras

19 de setembro (quinta-feira)

CTG Porteira do Rio Grande
Tema: Heroínas e intelectuais gaúchas: Estancieiras
Anônimas que fazem História e a História não Conta
Grupo de Arte e Tradição Aba Larga
Tema: Mais Prendadas Prendas do Rodeio Internacional, Prendas Estaduais, Regionais, Entidade
Anônimas que fazem História e a História não Conta
Local: CTG Porteira do Rio Grande
Horário: 8h30min Recepção Chama Crioula
14h Gincana e Oficinas com o Departamento Cultural
21h Apresentações Artísticas
23 h Fandango
Animação: Grupo Levanta Rio Grande
OBS: Entrada gratuita para sócios em dia

Programação da Entidade inicia dia 19/09 (quinta feira)

Grupo de Cavalgada Cavaleiros do 5º Distrito
Homenageado: Podalírio Kuse de Vargas pelos seus 80 anos
Horário: 8h Café Campeiro no Salão Capela Parque de Rodeios do Rosário
9h Cavalgadas em direção a propriedade do sr. Neide Francisco Prandi
12h Almoço para participantes da Cavalgada e convidados
13h30 min Retomada da Cavalgada
16h30 min Desfile pelas ruas centrais de Vacaria
20h Confraternização na Casa do Grupo no Parque de Rodeios

20 de setembro (sexta feira)

Horário: 9 h Desfile Farroupilha  
Instituto de Cavalgada Vacarianos a Cavalo e Grupo de Cavalgada Cavaleiros do 5º Distrito
Local: CTG Porteira do Rio Grande
Horário: 23 h Fandango
Homenageado do Instituto de Cavalgada Vacarianos a Cavalo: Neuri Adão de Lima Fortuna
Show: Elói e Léia do Grupo Os Ponchianos de Lages-SC
Animação: Grupo Compasso Fandangueiro de Erechim

21 de setembro (sábado)

CTG Rancho da Integração
Tema: Folclore e ofícios das mulheres gaúchas
Culinária
Medicina caseira
Anônimas que fazem História e a História não Conta

Grupo de Cultura Gaúchos de 35
Tema: Heroínas e intelectuais gaúchas:
Professoras Pioneiras
Anônimas que fazem História e a História não Conta

Local: CTG Rancho da Integração
Horário: 8h30 min Recepção da Chama Crioula
14 h Apresentação na Praça Daltro Filho
16h Mateada
20h Apresentações artísticas
22h Fandango
Animação: Os Qüeras

21 de setembro (sábado)

I Encontro de Invernadas
Show: Lauvir Siqueira Gaiteiro e Trovador
Local: Praça Daltro Filho
Horário: 14 h

22 de setembro (domingo)

“I Encontro dos Amigos para Reviver a Felicidade”
Local: Parque Nicanor Kramer da Luz, pavilhão Jair Sores
Horário: 8h 30 min Recepção da Chama Crioula Grupos de Terceira Idade
11h30 min Homenagem aos 25 anos do Clube Reviver
12h Almoço: Por adesão R$ 30,00
Homenagens: Clubes de Terceira Idade da Região
14h Tarde Dançante
Animação: Os Tangarás
Missa Campeira: Padre Rene Zanandréia
Participação da Orquestra Sinfônica de Vacaria
17h Extinção da Chama Crioula

sexta-feira, 23 de agosto de 2019

O guia definitivo sobre os tipos de cuia de chimarrão


Existem diversos tipos e formatos de cuia de chimarrão e todas possuem características marcantes que influenciarão no sabor da erva mate. A cuia de chimarrão uruguaia, por exemplo, é chamada de coquinho por conta do formato redondo, moderno e que contém uma linda borda de inox clássica.


Cuias para chimarrão gaúcho

Três modelos de cuias para matear sozinho


No Brasil, o chimarrão é o tipo de mate mais popular. O chimarrão pode utilizar diferentes tipos e formas de cuia. Na maioria das vezes a cuia é feita do Porongo, uma planta que hoje é presente em pelo menos 4 continentes. A cuia para o chimarrão gaúcho na maioria das vezes possui beiço, pescoço, corpo e umbigo. Para esse tipo de cuia, a erva mais utilizada é a gaúcha tradicional. Erva de cor verde vibrante, moída fina, médio ou grosso, ao melhor estilo gaúcho.

Algumas variações da cuia de chimarrão estão surgindo recentemente. Cuias feitas de madeira, cerâmica e aço inox estão ganhando espaço. Estas duas últimas surgem como boa opção para as pessoas que querem evitar o escurecimento ou formação de mofo na cuia.

Modelo de cuia mais usado pelos gaúchos


No Rio Grande do Sul, a cuia de chimarrão mais usada tem design afunilado na ponta que não interfere no preparo, apenas facilita para segurar.



Cuia para mate argentino


A cuia para o mate argentino também possui variadas formas. Geralmente o pescoço dessas cuias é menos acentuado, muitas vezes tendo um formato mais parecido com o de um copo.

O recipiente para o mate argentino tem um volume geralmente menor que o recipiente do chimarrão. A erva-mate utilizada pelos argentinos possui uma mistura de paus e folhas da planta. Por possuir uma granulometria maior, ela pode ficar depositada no fundo do recipiente, e ainda assim, não irá entupir o mate.

Modelo de cuia mais usados pelos argentinos


Alguns modelos de cuia de chimarrão argentina possuem a borda mais larga e feita em prata. Uma ideia perfeita para presentear alguém especial.


Cuia para mate uruguaio


No Uruguai o formato de cuia mais difundido é o estilo “coquinho”.  Esta cuia nada mais é que uma cabaça em formato de bola. Geralmente a cuia uruguaia é enfeitada com algum tipo de acabamento metálico na abertura.

Modelo de cuia mais usado pelos uruguaios.


A erva-mate uruguaia é bastante parecida com a argentina, exceto pelo fato de os uruguaios preferirem ervas pura-folha. Isso confere um sabor ainda mais forte ou amargo ao mate.

quinta-feira, 22 de agosto de 2019

Curso de Danças preparatório para o Rodeio - Agenda CTG Porteira do Rio Grande


Neste final de semana acontece Encontro de Danças Tradicionais do 33º Rodeio Crioulo Internacional de Vacaria. Na ocasião serão divulgados todos os procedimentos que nortearão os concursos de danças tradicionais do Rodeio, afim de que os competidores tirem suas dúvidas sobre os temas e procedimentos dos concursos de danças tradicionais.

Foto: Mateus Rosa

As inscrições custam R$ 80 por pessoa, com valor diferenciado para grupos com mais de 10 participantes. Neste valor estão inclusas as refeições do sábado (almoço, coffe e jantar) e do domingo (café e almoço). As inscrições devem ser feitas através do e-mail riograndeporteira@gmail.com.

Caso seja necessário alojamento, a solicitação deve constar na inscrição. No encontro também será divulgado o regulamento de todos os concursos artísticos e apresentadas as comissões avaliadoras das danças.


PROGRAMAÇÃO


Sábado (24/08):

9 horas: Credenciamento

10h30min: Procedimentos dos concursos

13 horas: Início das atividades práticas
O sábado encerra-se ao término das atividades.


Domingo (25/08)

9 horas: Início das atividades

12 horas: Almoço

13h30min: Retomada das atividades até a conclusão dos trabalhos.


Informações com:

Denisson Monks: 99160-6759

Júnior Lima: 99653-1126

Fabiana Lima: 99973-9772

terça-feira, 13 de agosto de 2019

Laço Macanudo 2: o game de tiro de laço para smartphones e tablets


O tiro de laço é uma das provas campeiras mais conhecidas dos rodeios crioulos. A cada dia cresce o número de praticantes em todo o Brasil.

Você que não foi criado na vida campeira ou nunca montou em um cavalo, agora você também pode ser um laçador ou uma laçadora, pelo menos no celular. Te aprochega e conheça o jogo Laço Macanudo 2.


Sobre o Laço Macanudo 2

Logo do jogo Laço Macanudo 2


O Laço Macanudo 2 é o resultado de uma parceria de sucesso entre um jornal tradicionalista e um estúdio de games: o Macanudo Gaúcho e a MonsterBed Game Studio. Com muita dedicação e compromisso com a cultura gaúcha, uniram a tradição à tecnologia, desenvolvendo um jogo digital de tiro de laço.

Há cinco anos foi lançado o primeiro game de tiro de laço, o Laço Macanudo Gaúcho, que teve mais de 1 milhão de downloads com nota média superior a 4. A segunda versão do jogo foi lançada em 25 de julho de 2017.

O Laço Macanudo 2 tem como objetivo difundir um dos aspectos da cultura do gaúcho campeiro, onde se faz necessário o uso do cavalo e do laço no manejo com o gado.

Como Jogar?

Nesse jogo, o gaúcho deve laçar o boi antes da marcação de 100 metros para obter sua pontuação. Cada laçada cerrada acumula bônus de pontuação, que serão perdidos no caso de laçada julgada. O jogo terminará quando o laçador errar a laçada, então sua pontuação será contabilizada conforme o modo de jogo.


Modos de jogo:

O modo rápido é o modo mais acessível e barato para o usuário. Com custo de apenas uma energia. Neste modo o usuário joga normalmente e pontua normalmente, porém pontuações realizadas neste modo não podem ser submetidas para classificações de rodeios. Ao final de uma partida, o usuário recebe uma recompensa de moeda comum (Pila) proporcional a seu desempenho.

Peão lançando no jogo

O modo rodeio tem um custo adicional (moeda comum e/ou premium), além de uma energia. Neste modo o usuário joga normalmente, pontua normalmente e submete sua pontuação final para a classificação do rodeio. Toda vez que o usuário for jogar novamente em um rodeio, ele deve pagar o custo do mesmo. A pontuação do usuário só é submetida se for maior que sua pontuação já submetida. Neste caso, a pontuação menor feita anteriormente pelo mesmo usuário é retirada da classificação e substituída pela nova pontuação.


Características


2 personagens: peão e prenda

150 itens disponíveis na loja como camisas, bombachas, chapéus, guaiacas, botas, tipos de cabelo, tons de pele, pelagens de cavalo e selas.

2 modos de jogo: jogo rápido e rodeios (semanais e mensais) com premiação para os melhores colocados, além de recompensas diárias de login.

O Laço Macunudo 2 está disponível para as plataformas Android e IOS e pode ser feito o download na loja de aplicativos do seu smartphone.

Te aprochega e confira a apresentação do jogo Laço Macanudo 2:


sexta-feira, 9 de agosto de 2019

A carreta de boi


A carreta ou carro de boi é um dos mais primitivos e simples meios de transporte, tendo sido muito utilizado no Rio Grande do Sul. Desde as origens da Província de São Pedro do Rio Grande do Sul até a chegada do trem e do automóvel, o Estado andou a reboque dos carros de boi.

Conhecida como “boeiro” em Portugal, “cambona” em algumas regiões do interior do Brasil, o carro de boi e “carreta” nos pampas gaúchos já era conhecido dos chineses e hindus. Também os egípcios, babilônios, hebreus e fenícios utilizavam o transporte “via bois”. Mais tarde, os europeus, quando se lançaram à colonização da África e da América, fizeram do boi um item indispensável da carga das caravelas.

Imagem do filme O Tempo e o Vento.


Tomé de Sousa, primeiro governador-geral do Brasil, trouxe consigo carpinteiros e carreiros práticos, e, em 1549, já se ouvia o “cantador” nas ruas da nascente cidade de Salvador/BA. A presença do carro de boi também é mencionada no “Diálogo das Grandezas do Brasil”, de Ambrósio Fernandes Brandão: “É necessário que tenha (…), 15 ou 20 juntas de bois com seus carros necessários aparelhados (…) ”, e mais adiante, “A vaca, sendo boa, é estimada a (…), e o novilho, que serve já para se poder meter em carro, a seis e a sete mil réis (…) ”.

Nos primeiros tempos da colonização, além de manter em movimento a indústria açucareira da roça ao engenho, do engenho às cidades, o carro de bois mobilizou a maior parte do transporte terrestre durante os séculos XVI e XVII. Transportavam materiais de construção para o interior e voltavam para o litoral carregados com pau-brasil e produtos agrícolas produzidos nas lavouras interioranas. No Brasil colonial, além dos fretes, o carro de bois conduzia famílias de um povoado para outro muitas vezes transformado em “carro-fúnebre” e os carreiros precisavam lubrificar os “cocões” para evitar a cantoria em hora imprópria.

No início do século XVI, o carro de bois era ainda absoluto no transporte de carga e de gente. No Sul, no Centro, no Nordeste, era indispensável nas fazendas. No Rio Grande do Sul, as carretas conduziam para a Argentina e para o Uruguai a produção agrícola. Foi utilizada durante a guerra dos farrapos, no transporte também das mulheres, feridos e de armamento. Na Guerra do Paraguai, os carretões transportaram munições, mantimentos e serviram ainda como ambulâncias.

Em meados do século XVIII, entretanto, com o aparecimento da tropa de burros, o carro de bois perdeu sua primazia. Mais leves e mais rápidos, os muares não exigiam trilhas prévias e terrenos regulares. No final do século, vieram os cavalos para puxar carros, carroças e carruagens, e o carro de bois foi proibido por lei de transitar no centro das cidades, ficando o seu uso restrito ao meio rural.

Os veículos motorizados aceleraram o processo de decadência do carro de bois no Brasil, na Argentina, em Portugal, na Espanha, na Grécia, na Turquia, no Irã, na Indonésia e na Malásia. Contudo, em todos esses lugares, artesãos continuaram a construí-los e a aperfeiçoá-los e, graças a essa gente, o carro de bois persiste na sua marcha pela história.

As carretas riscaram os primeiros caminhos do pampa, ajudaram a fundar cidades e abastecer bolichos. Transportaram mantimentos em tempos de paz, armas em períodos de guerra, sempre ao passo vagaroso do gado. Em solo gaúcho, as razões para o abandono da carreta incluem a lentidão do gado e as agruras da viagem, que sujeitam o condutor a intempéries, a dormir e comer ao relento, sem banho ou troca de roupa.

Hoje, um dos mais tradicionais meios de locomoção do gaúcho está em extinção, mas permanece nas memórias do nosso Pampa.

quinta-feira, 8 de agosto de 2019

Rodeio de Vacaria é divulgado em evento em Brasília


O patrão do CTG Porteira do Rio Grande, Elvio Guagnini Rossi, e o tesoureiro da entidade, Igor Coelho Venson, participaram nesta quarta-feira (07), em Brasília, no CTG Jayme Caetano Braun, do Lançamento da Frente Parlamentar Mista em Defesa da Tradição e Cultura Gaúcha e Lançamento dos Festejos Farroupilhas.



O evento, com visibilidade nacional, reuniu lideranças políticas e tradicionalistas de todas as regiões do Brasil. Elvio destaca que no evento estavam pessoas comprometidas em divulgar a cultura gaúcha e as riquezas do Rio Grande do Sul.

Ele parabeniza, ainda, o deputado Ronaldo Santini e ao Patrono da Semana Farroupilha Cesar Oliveira pela iniciativa. Segundo Elvio, foi um momento importante também para a divulgação do 33º Rodeio Crioulo Internacional de Vacaria.

UM BLOG AJOJADO DE SENTIMENTOS

PESQUISE POR AQUI