sexta-feira, 10 de maio de 2019

Seleção Gaúcha de Futebol


A Seleção Gaúcha de Futebol é uma seleção de futebol convocada pela Federação Gaúcha de Futebol (FGF). É composta por jogadores gaúchos.

A seleção não é reconhecida pela FIFA. Seu uniforme era todo branco com três listras com as cores da bandeira do Rio Grande do Sul na parte frontal da camiseta.

Em 1936, foi vice-campeã do Campeonato Brasileiro de Seleções Estaduais. O jogo mais marcante da Seleção Gaúcha foi contra a seleção Brasileira, jogo com o placar de 3 a 3 (Beira-Rio, Porto Alegre, RS). Neste jogo, o Estádio Beira-Rio, que pertence ao Internacional de Porto Alegre teve sua máxima lotação, mais de 106 mil pessoas estavam no Estádio.

Seleção Gaúcha de 1978.


A Seleção Gaúcha ainda realiza amistosos de categoria de base, em especial contra o Uruguai.


Campeonato Pan-Americano de 1956


O Campeonato Pan-Americano de Futebol de 1956 foi a segunda de três edições do Campeonato Pan-Americano de Futebol, para a disputa o Brasil enviou um combinado da dupla Gre-Nal, chamado de seleção gaúcha.

Atletas: Valdir, Sérgio, Paulinho, Oreco, Figueiró, Florindo, Airton, Ênio Rodrigues, Ortunho, Duarte, Odorico, Sarará, Jerônimo, Ênio Andrade, Milton, Luizinho, Hercílio, Bodinho, Larry, Juarez, Chinesinho, Raul Klein;

Dirigente - Saturnino Vanzelloti, Treinador - Teté, Massagistas - Moura e Biscardi, Médico - Derly Monteiro, outros - Chicão, Miguel Lardiez;


Em 1971, a Seleção do Rio Grande do Sul empatou em 1 a 1 com a Argentina, em jogo realizado no dia 19 de maio de 1971 no estádio Beira-Rio, em Porto Alegre, em amistoso internacional em homenagem ao Dia do Cronista. O árbitro foi o argentino Miguel Comesaña, com Agomar Martins e José Luis Barreto nas bandeiras. Bráulio, o Garoto de Ouro, do Internacional, fez 1 a 0, aos 11 minutos do segundo tempo e Fischer empatou aos 23 da etapa final. A Seleção Gaúcha, do técnico Professor Ribeiro, jogou com Gainete [Internacional]; Arceu [Cruzeiro], Bibiano Pontes [Internacional], Beto [Grêmio] e Ortunho [Cruzeiro]; Jadir [Grêmio], Tovar [Internacional] e Gaspar [Grêmio]; Flecha [Grêmio] (Carlos Castro – 22’/2 [São José]); Bráulio [Internacional] e Claudiomiro [Internacional] (Didi [Cruzeiro]). A Argentina, do técnico Rubém Bravo, alinhou com Marin; Dominichi, Rezza, Laraignée e Heredia; Landucci, Pastoriza e Veglio (Madurga – 14’/2); Marcos, Bianchi (Fischer – intervalo).


Jogo Histórico de 1972: Seleção Gaúcha X Seleção Brasileira


O Brasil em 1972 vivia sob o regime militar, liderado pelo então presidente Médici. No campo esportivo e, porque não, no campo político, a Seleção Brasileira, Tricampeã em 1970 era um motivo de orgulho para a nação.

Naquele ano de 1972, o técnico Zagallo convocou a seleção canarinho para a Taça Independência, em comemoração aos 150 anos de emancipação do País.

Na convocação, Zagallo não chamou nenhum jogador do Rio Grande do Sul, quando era esperada a convocação do jogador do Grêmio, o tricampeão Everaldo e do centroavante Claudiomiro, que vivia uma grande fase no Internacional.

A discussão não era com relação aos jogadores de Rio e São Paulo, pois, sem sombra de dúvida, tinham o melhor futebol do país na época. A celeuma era no que condizia à convocação dos jogadores de Minas Gerais, que rivalizava com o Rio Grande do Sul como terceira força do futebol brasileiro.

Tal fato gerou algo inusitado: a união de gremistas e colorados contra a Confederação Brasileira de Desportos.

O presidente da Federação Gaúcha de Futebol na época, Rubens Hoffmeister, agiu nos bastidores de modo a realizar um amistoso contra a seleção brasileira antes da Taça Independência.

Após muitas conversas, o jogo foi marcado para 17 de junho de 1972 no Estádio Beira-Rio.

No dia do jogo, o Beira-Rio estava lotado, com um público de 106.554 torcedores. E a torcida estava exaltado. Reza a lenda que até bandeiras do Brasil foram queimadas antes do início da partida, fato não confirmado pela imprensa local.

Entretanto, os dois times entraram em campo segurando uma grande bandeira brasileira. Uma vaia grandiosa foi ouvida no estádio quando foi tocado o hino nacional.

O jogo terminou empatado em 3 a 3, sendo que a seleção gaúcha sempre esteve a frente no placar. Quando o jogo terminou empatado, o treinador Zagallo correu e comemorou eufórico junto à comissão técnica.

Os gols do Brasil foram marcados por Jairzinho, Paulo César Cajú e Rivellino. Pela Seleção Gaúcha, marcaram Tovar, Carbone e Claudiomiro.

O Brasil jogou com Leão (Sérgio) – Zé Maria, Brito, Vantuir e Marco Antônio; Clodoaldo, Piazza e Rivelino; Jairzinho, Leivinha e Paulo César Caju.

Os gaúchos atuaram com Schneider, Espinosa, Figueroa, Ancheta e Everaldo; Carbone, Tovar e Torino; Valdomiro, Claudiomiro e Oberti (Mazinho).



Torneio Internacional do Uruguai


A Seleção Gaúcha Sub-20 disputou um torneio internacional em Trinidad, Flores no Uruguai, entre os dias 18 de dezembro e 22 de dezembro de 2012, a convite da Asociación Uruguaya de Fútbol (AUF). O comando técnico ficou a cargo de Thiago Gomes Pacheco. A equipe terminou em 2º lugar.


Títulos


Torneios amistosos: Taça Atlântico-Sul: 1974.

Categorias de base: Campeonato Brasileiro de Juniores (Sub-20): 1981 / Campeonato Brasileiro Juvenil de Seleções (Sub-17): 2002 / Copa de Seleções Estaduais Sub-20: 2017.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Muito obrigado por sua participação. Seu comentário será publicado em breve. Publicamos nossos posts novos lá no Facebook - caso desejar deixar seu comentário por lá e seguir o blog, o Repórter Riograndense te espera!