sexta-feira, 5 de abril de 2019

Cristiano Quevedo: o cantor nativista da primeira capital do Rio Grande do Sul


Cristiano Quevedo é um dos maiores famosos e populares cantores da música nativista gaúcha. Natural da cidade Piratini, a primeira capital do estado do Rio Grande do Sul, Cristiano Quevedo mantém a tradição de estar próximo de seu público, cantando a mais autêntica música sul-rio-grandense.


Em seus 25 anos de carreira, gravou 15 discos e vem conquistando uma legião de fãs no Rio Grande do Sul, demais regiões do Brasil e do mundo. Seus maiores são “Contraponto” e “Gaúcho de Coração”. Dentre os vários prêmios que Cristiano Quevedo recebeu está o troféu Candeeiro Farrapo no ano de 2013, honraria dada pela Câmara Municipal de Vacaria durantes os festejos da Semana Farroupilha.




O blog Repórter Riograndense conversou com Cristiano Quevedo sobre a sua carreira, em que ele fala de suas referências musicais, parceiras com outros músicos e os próximos projetos.

Te aprochega e confira um Chasque ao Repórter:


Como foi o início da sua carreira?


Cristiano Quevedo: Eu comecei nas invernadas artísticas, desenvolvendo o meu dom. Profissionalmente comecei a trabalhar nas rádios e logo depois nos festivais nativistas do Rio Grande do Sul. Depois muito tempo de estrada e muitas apresentações lancei o primeiro LP Um Canto Pra Ti em 1995.


Por que a escolha pela música nativista?


Quevedo: Venho de uma cidade histórica, Piratini, a primeira capital farroupilha, terra de Luiz Carlos Barbosa Lessa, onde se respira muito os ideais farroupilhas e também o tradicionalismo Gaúcho. Tudo isso, somado a uma grande vontade de exteriorizar esse sentimento, me levaram buscar na arte, logo depois na música, esse caminho. Lá se vão 25 anos de carreira.





Quais são os artistas você usou como referência na sua carreira?


Quevedo: Sempre fui muito atento aquilo que fala mais alto ao meu coração. Na arte, artistas como Charles Chaplin e Chico Anísio, na música, de Noel Guarani a Djavan, passando por Os Serranos, Gaúcho da Fronteira, Elton Saldanha, Luiz Marenco, Fabio Jr, além de influências do folclore uruguaio e argentino. Bebo de todas essas fontes para que eu possa desenvolver minha caminhada como músico.


Qual é música, ou composição, é mais especial para você? Por que?


Quevedo: A música mais especial para mim é Contraponto, letra de Paulo de Freitas Mendonça, música de minha autoria e de Fabiano Bacchieri. Porque além de ter me mostrado para o mundo, traz nos seus versos o meu ideal, como "A audácia de buscar o novo, sem pisar o rastra"... , ..."A coragem de pelear de adaga, pela liberdade"... e ..."Ter prenda e filhos e ficar tordilho ao redor das casas".


Durante a sua carreira você já ganhou vários prêmios. Qual foi o mais especial?


Quevedo: Todos são especiais para mim, não só pelo prêmio em si, mas pelo reconhecimento de um trabalho que faço com suor e muito amor.




Você participa ao lado de Shana Muller, Angelo Franco e Erlon Péricles do projeto Buenos e M’espalho. Tem alguma novidade deste projeto atualmente?


Quevedo: O Buenas e M’espaho deu um tempo, pois resolvemos tocar nossas carreiras solos, mas estará sempre vivo e dentro dos nossos corações. É muito mais que um projeto musical, é uma família que a música construiu.


Você participou da primeira edição do quadro “Desafio Farroupilha” do Jornal do Almoço, em que você buscou aprender a laçar. Como foi a experiência? Continua praticando?


Quevedo: Foi uma experiência incrível. Um sonho que guardava enrodilhado, assim como um laço. Foi um grande desafio, pois não tenho muito tempo para me dedicar aos treinos e em qualquer rincão deste estado tem milhares de laçadores. É sem dúvida o esporte de maior número de participantes que eu conheço, além é claro de representar a nossa tradição. Acho que não fiz feio. Hoje em dia eu pratico muito pouco, mas um dia será o meu esporte.




Quais são seus próximos projetos para o futuro?


Quevedo: Seguir fazendo música e buscando ir mais longe para chegar mais perto do coração das pessoas que gostam da minha música. Lancei um CD chamado “cristianoquevedo.rs” e estou neste primeiro semestre produzindo um trabalho muito bonito ao lado do catarinense, irmão que a música me deu Gabriel Pellizzaro. Um Projeto maravilhoso unindo a minha voz ao acordeom dele. Em breve queremos percorrer o Brasil com este trabalho. 


Fotos do show de Cristiano Quevedo no 32º Rodeio Crioulo Internacional de Vacaria. 

Créditos: Mateus Rosa



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Muito obrigado por sua participação. Seu comentário será publicado em breve. Publicamos nossos posts novos lá no Facebook - caso desejar deixar seu comentário por lá e seguir o blog, o Repórter Riograndense te espera!