quarta-feira, 28 de agosto de 2019

Criticar “gaúchos de setembro” é puro preconceito


Por Giovani Grizotti


Já perceberam o quanto os chamados “gaúchos de setembro” sofrem preconceito por quem alega “viver" as tradições o ano todo? São "de apartamento", só se pilcham na Semana Farroupilha, sequer frequentam CTGs, só para citar alguns dos comentários mais frequentes. Aliás, a expressão “gaúcho de apartamento”, quando dita com malícia, também é preconceituosa, afinal, um gaúcho é mais gaúcho por morar no campo, numa estância? Não.

Voltando. Vou dizer uma coisa para vocês. Eu respeito muito os gaúchos de setembro. Até porque já fui um deles. Afinal, como vocês acham que alguém toma gosto pela cultura gaúcha? Não seria a festa de setembro a principal vitrine? Foi frequentando o Acampamento Farroupilha de Porto Alegre que passei a compreender a importância do tradicionalismo e passei a lutar por ele. Hoje sou gaúcho, sob o ponto de vista da militância cultural, o ano todo.

Acampamento Farroupilha de Porto Alegre. Foto: Giovani Grizotti - Repórter Farroupilha


Lembro de ter percebido essa filosofia, por exemplo, no Centro Nativista Boitatá, quando estive por lá para mostrar os bailes da “Capital Gaúcha do Fandango”, São Borja. O pessoal permite que as pessoas entrem sem bota e bombacha na expectativa de que, no próximo ano, se pilchem e, quem sabe, passem a frequentar o CTG em outras épocas. Assim pode ser o “gaúcho de setembro”. Ele participa da Semana Farroupilha, gosta, e passa a viver a tradição o ano todo. E quem sabe, se associa a uma entidade.

Já pensaram o que seria do carnaval não fossem os carnavalescos de fevereiro? E o que seria do Acampamento Farroupilha, sem os “gaúchos de setembro”? Muito, mas muito menos numeroso. Eles tiram fotos de tudo, entram nos galpões, fazem perguntas...E gastam. Portanto os tradicionalistas temporários são a massa que ajuda a sustentar a roda da tradição, ainda mais agora, que o a festa não conta com verba pública.

Um texto publicado recentemente se resigna, de nós, tradicionalistas, sermos chamados de “gaúchos de setembro”. Mas o que esperar da sociedade à nossa volta se esse preconceito começa dentro de nós, os primeiros a criticar aqueles que somente festejam nossas tradições nessa época do ano?

Então, está na hora de enxergarmos os “gaúchos de setembro” com outros olhos. Ou seja, como gaúchos e ponto. E mostrar a eles que nossa tradição é tão rica e bonita que merece ser cultuada os doze meses do ano. Cabe aos “gaúchos de ano todo” utilizar essa tática de convencimento.

Resolvi escrever esse texto aos que se consideram "tradicionalistas de ano todo" e que acham que ser apenas "de setembro" é algo menor ou desprezível.


*Texto publicado na página do Giovani Grizotti – Repórter Farroupilha no Facebook em setembro de 2017, e que segue muito atual.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Muito obrigado por sua participação. Seu comentário será publicado em breve. Publicamos nossos posts novos lá no Facebook - caso desejar deixar seu comentário por lá e seguir o blog, o Repórter Riograndense te espera!