quarta-feira, 26 de abril de 2017

Testamento

Senta aqui china, ao meu lado
Assim bem pertinho
E conversemos juntinhos do muito
Que vivemos querida,
Sempre, sempre nesta vida, lutando sempre
Sozinhos.

Atiça um pouco essas brasas,
Que há um tição umaceando,
Sinto os olhos lagrimejando
E a voz se me embaraça,
Mas a causa é a fumaça
De algum pau verde chorando.



Encilha o mate querida,
Vamos tomando um amargo
Enquanto te dou o encargo
De uma ultima vontade
Sei que em nada porás embargo,
Confio na tua amizade.

Não chores prenda,
Tem calma que é preciso ter paciência,
Porque tudo que tem existência,
Um dia também terá fim
E porque razão só de mim
Se esquivará a providencia?

Presta bem tua atenção,
Em tudo que vou dizer
Sei que muito vais sofrer
Rolando cantos alheio
Mas nunca tenhas receio
De cumprir o teu dever.

Despreza a má companhia,
Mesmo sendo ela um bocó
Nem de todos tenha dó
Que as penas não dão cuidado
Tenha sempre esse ditado
Um boi solto sambe-se só.

Procura ser comedida
Dentro da própria desdita
E se te sentires aflita
Contra qualquer falsidade
Lembra que toda a verdade
Nem sempre deve ser dita.

Vende as pilchas que eu te deixo
Não tenhas nisso cuidado.
O meu apero prateado
Que me custou tanto dinheiro
Até a quaiaca e o isqueiro
Te darão alguns trocado.

O tordilho sobre passo
Até o zaino pinhão
Só não vende o alazão
Que é manso do teu andar,
Vende as garras de domar,
Badana, pesuelo e o facão.

Vende tudo minha prenda,
Sovéu, o lado e o arreador,
Também vende tirador
E os estribos de picharia
Até para as três Marias
Não faltará comprador.

Só não vende aquele lenço,
Que a muito tenho guardado,
É o meu lenço colorado
Que usei com tanto gosto,
Me tapa com ele o rosto pra ser
Comigo enterrado.

E esse poncho de vinha,
Esse velho poncho amigo,
Que durma sempre contigo,
Bem de encontro do coração
Pois assim terás a impressão
Que estas dormindo comigo.


Autor Fermino Desidério

2 comentários:

  1. muito bom vai ser declamada essa poesia no dia 16 de setembro no foro de Viamão.

    ResponderExcluir
  2. estamos procurando um interprete para essa poesia denominada Testamento.

    ResponderExcluir

Muito obrigado por sua participação. Seu comentário será publicado em breve. Publicamos nossos posts novos lá no Facebook - caso desejar deixar seu comentário por lá e seguir o blog, o Repórter Riograndense te espera!