sexta-feira, 20 de maio de 2016

Jorge Guedes


Jorge Procópio Ferreira Guedes, ou Jorge Guedes (São Luiz Gonzaga, 13 de setembro de 1964) é um cantor e compositor da Música nativista, missioneiro e parceiro de arte de nomes como Noel Guarany, Jayme Caetano Braun e Cenair Maicá.  Jorge Guedes é um dos melhores cantores do Rio Grande do Sul, sendo um divulgador da cultura missioneira em palcos nacionais e internacionais e programas de grande notoriedade como o Programa do Jô e Sr. Brasil com Rolando Boldrin. Em 2014 recebeu da assembleia legislativa do estado do Rio Grande do Sul o prêmio Vitor Mateus Teixeira, na categoria de melhor compositor.

Biografia

Jorge Guedes é o filho mais novo de dez irmãos, seu pai Francisco da Silva Guedes (Chico Guedes) passou aos filhos o dom da música, sendo que este tocava o acordeon.

Junto dos irmãos na adolescência, começou a tocar e cantar bailes e demonstrar grande apreço pela musicalidade missioneira, sendo influenciado por grandes artistas como Noel Guarany, Cenair Maicá, Jayme Caetano Braun, Telmo de Lima Freitas e outros nomes, que lhe despertaram grande admiração.

Na década de 80, começa a tocar com o conjunto, Os Caranchos permanecendo no grupo por alguns anos. No fim dos anos 80 conhece o cantor e compositor, Noel Guarany, com o qual juntamente com João Maximo lançam o LP, A volta do Missioneiro, aonde interpretou sucessos como Roda que Roda e Na Baixada do Manduca.

Sempre comprometido com suas raízes missioneiras, lança em 1989 seu primeiro trabalho solo, o LP Terra Missioneira ,aonde se encontra canções como Bagual de Corredor, Os Olhos de Minha Linda em parceria com Noel Guarany e Milonga do Maragato, em parceria com João Sampaio que viria à ser mais tarde um de seus maiores parceiros.

Em 1994 lança o LP, Paisagens de Fim de Tarde, no qual recebeu o prêmio de melhor capa do ano, trazendo novos sucessos como Lida de Costeiro, regravada pelo conjunto, Os Serranos, também a canção Sentado sobre um Arreio, regravada pelo cantor e compositor Porca Véia e a interpretação do clássico gaúcho de João Sampaio e Elton Saldanha, Entrando no m'bororé.

Três anos depois lança o CD, Porque será Che Guevara, trabalho de grande teor intelectual e apelo social, que está presente no memorial de Che Guevara em Cuba. Neste CD além da homenagem ao revolucionário, também há homenagens para nomes como Raul Seixas, Atahualpa Yupanqui, Andrés Guazurary e Sepé Tiaraju.

Em 1999 lança seu quinto trabalho, De Boina e Alpargatas,em que se destacam as músicas Costeira ,Aqui são Outros Quinhentos e Estampa Caudilha , regravação do LP Paisagens de Fim de Tarde.

Em 2003 lança de forma independente um CD emblemático e de grande identidade cultural, Das Missões às Cordilheiras, tendo feito uma viagem até o Peru, com o intuito de ter um embasamento maior sobre o resgate histórico do trabalho. Destacam-se as músicas Por uma Pátria de Todos, Pra Pastorejar a Pátria e Sepé Chorou, em parceria do poeta e apresentador Antonio Augusto Fagundes, o Nico Fagundes.

De 2003 à 2013 não grava ,mas junto de sua família participa de grandes espetáculos, como os 40 anos de morte de Che Guevara na Bolívia, festival del chamamé na Argentina,Encontro internacional de chamameceros em São Luiz Gonzaga, o Programa do Jô em São Paulo ,Sr. Brasil com Rolando Boldrin , dentre outros.

Em 2013 lança ao lado de sua família seu mais recente trabalho, Sem tinta, que retrata a vivência do homem de campo, em sua forma mais original, destacando-se as músicas Nego Betão, escolhida pela crítica gaúcha a melhor musica do ano (recentemente o grupo Os Serranos regravou essa música a participação do próprio Jorge Guedes & Família), Sem Tinta, música que dá nome ao CD e Anjo e Flor, música que retrata o romantismo gaúcho.

Obra

Artista comprometido com a cultura e a riqueza histórica missioneira , expõem em suas obras a temática gaucha , retratando o homem autentico desta região do país, como no trecho desta canção em parceria com João Sampaio.

“Sou missioneiro nascido em São Luiz Gonzaga e não froxo o cabo da adaga, pra o taura mais caborteiro ,quando estou louco , me vou lá pra Bossoroca, arranco o diabo da toca e tiro pra meu companheiro.”

Nesta outra obra, pode se notar a complexidade e a maneira eclética com que Jorge Guedes rebate as diferenças sociais. Destaca-se também nesta canção a referencia ao cantor e compositor da Bahia , Raul Seixas, sendo esta também uma obra em parceria de João Sampaio.

“Ao som de algumas em deixas, declarou em mais de um verso, cada um de nós é um universo o guru pop Raul Seixas, por isso ao hastear as queixas patéticas do meu chão, campeiros passando fome, piazada pedindo pão só sei cantar deste jeito, pois tenho uma chúria no peito, que se chama coração.”


Discografia

1988 - A Volta do Missioneiro - (com Noel Guarany e João Maximo) Usa Discos
1989 - Terra Missioneira - Usa Discos
1994 - Paisagens de Fim de Tarde - Usa Discos
1997 - Porque será Che Guevara - Atração
1999 - De Boina e Alpargatas - Usa Discos
2003 - Das Missões às Cordilheiras - Independente

2013 - Sem Tinta - Acit

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Muito obrigado por sua participação. Seu comentário será publicado em breve. Caso desejar comentar usando o Facebook, basta usar a caixa logo abaixo.