quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Música Nativista


Música nativista é um gênero musical brasileiro característico do Sul do Brasil e que tem como temas principais o amor pelas coisas dos estados, pelo campo, pelo cavalo, pelos rios e pela mulher.

A música nativista é construída em cima de um andamento mais lento e intimista, com letras bastante elaboradas, conotativas e metafóricas.

Música gaúcha

A música gaúcha de origem tradicionalista parece ter origem na escola literária do parnasianismo, por sua semelhança quando canta coisas da natureza e do ambiente como: a terra, o chão, os costumes, o cavalo - e pela musicalidade, sempre buscando a rima num arranjo muito acertado com as melodias, criando entre letra, música e dramatização, uma dinâmica que rebusca origens e paixões. Vale a pena estudar este aspecto e descobrir que por outras origens históricas podemos enriquecer nossas culturas.

O estilo musical gauchesco mostra também origens fortes na música flamenca espanhola, e na música portuguesa. Os campos harmônicos bem arranjados denotam ritmos bem elaborados e melodias com dois ou mais violões. Com uma formação harmônico-melódica complexa, a música tradicionalista torna-se difícil de ser interpretada em alguns casos, por outros grupos ou músicos que não possuem ligação direta com a cultura gaúcha.

Festivais

A partir de 1971 surgiu em Uruguaiana à Califórnia da Canção Nativa, festival considerado a mãe de todos os festivais nativistas, dando origem as festivais de música nativista nos estado de Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

Após a Califórnia da Canção Nativa surgiram:

• Escaramuça da Canção Gaudéria, em Triunfo;

• Tertúlia Musical Nativista, em Santa Maria;

• Festival da Barranca, em São Borja;

• Coxilha Nativista, em 1981 Cruz Alta;

• Musicanto Sul-americano de Nativismo, em Santa Rosa;

• Canto sem Fronteira, em Bagé;

• Tafona da Canção Nativa, em Osório;

• Acorde da Canção Nativa, em Camaquã;

• Estância da Canção Gaúcha, em São Gabriel;

• Semeadura da Canção Nativa, em Tupanciretã;

• Sapecada da Canção Nativa, em Lages.

• Um Canto para Martín Fierro, em Santana do Livramento;

• Carijo da Canção Gaúcha, em Palmeira das Missões;

• Encontro Internacional de Chamameceros, em São Luiz Gonzaga;

• Cante uma Canção, em Vacaria;

• Gauderiada da Canção Gaúcha, em Rosário do Sul;

• Comparsa da Canção Gaúcha, em Pinheiro Machado;

• Grito do Nativismo Gaúcho, em Jaguari;

• Reponte da Canção, em São Lourenço do Sul;

• Vigília do Canto Gaúcho de Cachoeira do Sul;

• Salamanca da Canção Nativa de Quaraí;

• Laçador do Canto Nativo, em Porto Alegre;

• Canoa do Canto Nativo, em Canoas;

• Bicuíra da Canção Nativa, em Rio Grande;

• Acampamento da Canção Nativa, em Campo Bom;

• Galponeira, em Bagé;

• entre outros.

Ritmos musicais

Entre os principais ritmos de música nativista estão: a milonga, o chamamé, a chamarra, a polca, o rasguido doble, a vaneira e a rancheira.

Nativismo e tradicionalismo

Apesar de tratar dos mesmos temas que os tradicionalistas, os nativistas discordam destes em alguns pontos. Entre os pontos de maior divergência estão o passado do Rio Grande do Sul e Santa Catarina e a influência espanhola dos países vizinhos.

São divergências bastante sutis, mas podem ser percebidas em certas canções, como por exemplo, "Sabe Moço", cantada por Leopoldo Rassier, que fala da tristeza de um soldado que lutou nas guerras históricas dos estados e recebeu cicatrizes em vez de medalhas. É um assunto que dificilmente seria abordado pelos tradicionalistas, que preferem ver glória e heroísmo nas mesmas guerras.

Quanto à influência espanhola, os tradicionalistas têm certo desprezo por considerar que os espanhóis muitas vezes no passado foram inimigos nas guerras em que os estados se envolveram. Os nativistas, por outro lado, não se envergonham de admitir que muitas características culturais e folclóricas fossem originárias dos países vizinhos (Argentina e Uruguai), muitos chegam a gravar músicas em espanhol e até se fala em "três pátrias gaúchas" (Argentina, Uruguai e Sul do Brasil).

Outro ponto de divergência entre tradicionalistas e nativistas é a religião. Tradicionalistas na maioria das vezes são católicos fervorosos, enquanto alguns nativistas poucas vezes falam em Deus, e há letras que chegam a falar em Ateísmo (como por exemplo, a canção Changueiro De Vida E Lida, cantada por Adair De Freitas, Jari Terres e Luiz Marenco).

Nativismo e Tchê Music

Existe certo atrito entre os artistas nativistas e os representantes da Tchê Music. A principal razão disso é cultural: enquanto os nativistas buscam o retorno às raízes da música gaúcha, os "tchê's" buscam modernizá-la, adicionando elementos de ritmos brasileiros e até estrangeiros - o que faz com que os nativistas afirmem que a música deles já não é mais tipicamente gaúcha, o quê lhes dá razão.

As acusações geralmente incluem também, por parte dos nativistas, o fato de os representantes da Tchê Music trabalharem para tornar seu som o mais dançante e comercial possível. Os "tchês", por sua vez, acusam os nativistas e tradicionalistas de tentarem prejudicar seu trabalho, impedindo-os de tocar em CTG's, bailes tradicionais e eventos diversos realizados pelo MTG ou por outras entidades tradicionalistas e/ou nativistas.

Principais artistas

Músicos

• Lucio Yanel

• Leonardo Díaz Morales

• Leopoldo Rassier

• Luiz Marenco

• Noel Guarany

• Wilson Paim

• Pirisca Grecco

• Leonardo

• Luciano Maia

• Marcelo Oliveira

• Cenair Maicá

• Telmo de Lima Freitas

• Marcello Caminha

• César Oliveira e Rogério Melo

• Grupo Alma Musiqueira

• Rui Carlos Ávila

• José Claudio Machado

• Adair De Freitas

• Leôncio Severo

• Pedro Ortaça

• Dante Ramon Ledesma

• Cristiano Quevedo

• Leonel Gomez

• Leonardo Quadros

• Joca Martins

• Mano Lima

• João Chagas Leite

• Jairo Lambari Fernandes

• Jari Terres

• Mauro Moraes

• Jorge Guedes

• Lisandro Amaral

• Ângelo Franco

• Érlon Péricles

• Edilberto Bérgamo

• Raineri Spohr

• Fabiano Bacchieri

• Nilton Ferreira

• Beto Bollo

• Volmir Coelho

• Juliano Gomes

• Enio Medeiros

• José Mendes

• Enio Medeiros

• Piero Ereno

• Wilian José Costa

• João Luiz Corrêa

• Tiago Oliveira

Poetas/letristas

• Jayme Caetano Braun

• Gujo Teixeira

• Carlos Madruga

• Anomar Danúbio Vieira

• Mauro Moraes

• André Oliveira

• Rogério Villagran

• Zeca Alves

• Edilson Villagran Martins

• Luís Coronel

• Carlos Omar Villela Gomes

• Severino Rudes Moreira

• Leonardo Borges

• João Luiz Corrêa

• Eron Vaz Mattos


• Zé Leandro

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Muito obrigado por sua participação. Seu comentário será publicado em breve. Caso desejar comentar usando o Facebook, basta usar a caixa logo abaixo.