Como foi o 33º Rodeio Crioulo Internacional de Vacaria

12 de fev. de 2020


Passada a 33ª edição do Rodeio Crioulo Internacional de Vacaria, vamos através deste texto aqui do blog Repórter Riograndense falar sobre a maior festa da tradição gaúcha.

Começo destacando que mais 320 mil pessoas passaram pelo parque Nicanor Kramer da Luz entre 01 a 09 de fevereiro. Para a realização das provas de laço, foram utilizadas 2,5 mil cabeças de gado. A modalidade teve cerca de 7 mil inscritos. Para a gineteada foram usados 120 cavalos.

Laçadores da seleção gaúcha, campeão do laço seleções. Foto: Mateus Rosa



O Rodeio de Vacaria teve, no total, a participação de 199 entidades tradicionalistas nos concursos artísticos. Foram 3 mil inscritos nas provas artísticas, sendo 85 grupos de danças tradicionais.

Entre os milhares que prestigiaram o evento, participantes de todo o Brasil (as delegações mais distantes foram as dos estados do Acre e de Rondônia) e dos países vizinhos Uruguai, Paraguai e Argentina.

No total, 10 veículos e seis motos foram distribuídos aos vencedores, num total de R$ 800 mil.

Quero destacar também a qualidade das músicas que participaram 12º Festival Cante Uma Canção em Vacaria, que teve como vencedora a música “O Primeiro Romance” interpretada por Luiza Barbosa, a “gauchinha do The Voice Kids”. Mas qualquer uma das outras músicas que participaram do festival poderia ter vencido.


Pontos que precisam ser melhorados para as próximas edições


Uma das coisas que mais me incomodou foi a empresa contratante dos bailes não ter contratado grupos como Os Serranos e Grupo Rodeio e contratou o polêmico Kauan Furacão, que disse várias vezes em suas redes sociais que não gosta de usar pilcha em CTGs. Outra coisa me chamou a atenção era que as pessoas não dançavam nos bailes. Nesse quesito, nós homens temos de tomar a iniciativa e convidar a mulherada para dançar.

O circão de lona, local onde acontecem os bailes do Rodeio de Vacaria mudou de lugar. Porém o novo local era de difícil acesso para os ônibus dos grupos. Os motoristas do Grupo Minuano e Tchê Barbaridade o que digam.

Sobre os shows da Concha Acústica, a única coisa que me incomodou foi o atrasado dos shows. O show do cantor Paulinho Mocelin na programação inicial estava previsto para começar às 23h30mim, mas começou depois das 1h. Tudo bem atrasar meia hora, mas o show ter começado no horário mencionado acima? Assim não dá!

Faltou também mais divulgação na mídia nacional. Em edições anteriores, o Rodeio de Vacaria teve reportagens de destaque no Jornal Nacional e Fantástico da Rede Globo. É necessário ter mais divulgação vinculado nos principais veículos de comunicação do país para o crescimento do Rodeio.

Mas o ponto principal é que para as próximas edições do Rodeio de Vacaria é melhoria da estrutura do parque Nicanor Kramer da Luz. Com o crescimento do número de visitantes, será uma grande mudança na estrutura do parque para receber o público. Entre elas, seria a cobertura da arquibancada da Cancha da Ferradura para o público que assiste as provas campeiras. Como todos sabem, todo Rodeio de Vacaria chove. Além do aumento da área do parque para os acampamentos.


Balanço Final


Posso concluir que Vacaria fez jus ao título de “Capital Nacional dos Rodeios Crioulos”. O planejamento para o 34º Rodeio Crioulo Internacional de Vacaria que acontecerá em 2022 já deve estar na pauta da patronagem do CTG Porteira do Rio Grande. Penso que é necessário um planejamento a longo prazo, não só pensando em 2022, mas também em 2024, 2026, 2028, etc.

Parabéns a patronagem do CTG Porteira do Rio Grande pela organização do 33º Rodeio Crioulo Internacional de Vacaria. Já estamos esperando por 2022.

Tem rodeio em Vacaria!

APROCHEGUE E CONFIRA

0 comentários

Muito obrigado por sua participação. Seu comentário será publicado em breve. Publicamos nossos posts novos lá no Facebook - caso desejar deixar seu comentário por lá e seguir o blog, o Repórter Riograndense te espera!