quarta-feira, 29 de agosto de 2018

Taynara Oliboni: a nova 1ª Prenda da 8ª Região Tradicionalista

A mulher tem um papel fundamental na sociedade desde o início da humanidade. E na cultura gaúcha não poderia ser diferente.


Uma figura presente nos CTGs espalhados Rio Grande a fora é a prenda. Toda entidade tradicionalista tem sua 1ª prenda que representa a mulher na tradição gaúcha.


O Repórter Riograndense conversou com a nova 1ª prenda da 8ª região tradicionalista para o biênio 2018-2019, Taynara Oliboni de 23 anos, estudante do curso de Direito da Universidade de Caxias do Sul. Ela também é 2ª Prenda Adulta do CTG Porteira do Rio Grande.

Taynara quando conquistou o título de 1ª prenda da 8ª Região Tradicionalista. Arquivo pessoal


Neste bate-papo, Taynara fala sobre a sua paixão pelo tradicionalismo, além das atividades de uma prenda e sobre futuro da Tradição Gaúcha.




Quando foi o seu primeiro contato com o tradicionalismo?


Taynara Oliboni: Meu primeiro contato com o tradicionalismo foi aos quatro anos de idade quando ingressei na invernada mirim do CTG Porteira do Rio Grande, entidade a qual pertenço até hoje. Aos cinco anos, dancei minha primeira "Vacaria" (Rodeio Crioulo Internacional) como chamamos fazendo uma apresentação no famoso palco da Concha Acústica (palco das apresentações artísticas do Rodeio de Vacaria). A estreia do meu primeiro rodeio foi lá na cidade de Chapecó-SC, desde então mantive-me ativa no âmbito tradicionalista.


O que uma moça precisa para ser a mais prenda prendada?


Taynara: Diferente dos outros concursos que estamos acostumados a ver, as prendas não são avaliadas unicamente por sua beleza, simpatia e bons modos, mas também sobre seus conhecimentos, habilidades artísticas e desenvoltura. Passamos por prova escrita que contém questões de múltipla escolha e uma redação sobre determinado tema. Realizamos mostra folclórica, prova oral e por fim prova artística.
Precisa ter conhecimento da história e cultura do Rio Grande do Sul, folclore e tradicionalismo. Realizar projetos em escolas e comunidade, eventos, entre outras coisas, que  nos torna mais cultos, mantendo-nos a par de tudo que está acontecendo no Movimento Tradicionalista Gaúcho.



Participação de Taynara no concurso da 8ª Região Tradicionalista, mostra folclórica. Arquivo pessoal

Desde quando você é prenda e quantos concursos já participou?


Taynara: Comecei a participar de concursos no ano de 2016, na fase interna do CTG Porteira do Rio Grande onde conquistei o título de 2ª Prenda adulta, gestão 2016/2018. Mas antes mesmo do concurso já participava dos eventos tradicionalista dentro e fora de minha cidade, pois sempre almejei ser prenda. Logo após participar do concurso dentro da entidade, surgiu a missão de participar da Ciranda em sua fase Regional, onde conquistei no dia 30 de junho de 2018 o título de 1ª Prenda da 8ª Região Tradicionalista gestão 2018/2019. Uma conquista muito batalhada e suada eu diria, que sem o apoio que tive certamente ela não seria possível.



Quais são as outras atividades você participa no CTG?


Taynara: Danço desde meus 4 anos de idade. Atualmente na invernada adulta. Participamos do Festival Nacional da Cultura Gaúcha, onde no ano de 2000 em uma roda de mate e uma conversa informal com o patrão da época, sr. Emiliano Cilon Silveira juntamente com o instrutor de dança que era o Luis Bandeira e alguns integrantes da patronagem entre eles os meus pais que eram coordenadores gerais, surgiu a ideia de organizar esse festival onde a principal finalidade era de ter uma atividade que envolvesse a participação das outras entidades tradicionalistas. Levamos a proposta até o MTG (Movimento Tradicionalista Gaúcho) que abraçou a causa e se originou o famoso FNCG (Festival Nacional da Cultura Gaúcha), que tem seus 17 anos de história. Depois da dança, o canto é algo que me fascina, porém não participo dos concursos ainda, mas futuramente é algo que pretendo aperfeiçoar e quem sabe ingressar como concorrente.

Taynara também participa de cavalgadas. Arquivo pessoal

O que significa para você ser a 1ª prenda da 8ª Região Tradicionalista?


Taynara: É uma honra e uma alegria imensa, é algo que não tem preço e só quem realmente passa por isso, e os familiares e pessoas que te acompanham, sabe das tantas emoções que vivenciamos a cada etapa vencida. O tradicionalismo é algo grandioso demais, vai além de concursos de dança, de prendas e peões, entre outros. Fazer amizades, viajar, conhecer cidades e principalmente ter a simplicidade de sempre independente de cargo ou funções desempenhadas. É o que nos faz ser grandes de verdade e ter uma cultura tão rica.




Quais são suas expectativas para o próximo Rodeio de Vacaria para concurso Mais Prendada Prenda?


Taynara: O Rodeio de Vacaria é considerado um dos maiores eventos do Brasil e da América Latina, por suas provas campeiras, artísticas e também a belíssima premiação em dinheiro.  Sem falar nas diversas atrações que se apresentam no palco da concha acústica. Recebemos prendas e peões de todas as cidades e escolha da Mais Prendada Prenda é um dos concursos mais aguardados e a curiosidade para conhecer as candidatas, desde já, são enormes. Afinal, de dois em dois anos uma prenda passa por várias provas até conquistar o título máximo da festa e representar as mulheres gaúchas, a nossa cultura e tradição durante todo o evento, levando a história do estado para dentro das entidades e a todos que nos prestigiam.

Cavalgada que Taynara participou ao lado do cantor Elton Saldanha na abertura do 32º Rodeio Crioulo Internacional de Vacaria. Arquivo pessoal

O que você diria para os jovens que querem ingressar no tradicionalismo?


Taynara: Tradicionalismo é a tradição passada de geração a geração, a arte de colocar em movimento tudo que herdamos com o princípio básico de nunca deixar essa cultura ser esquecida, pois aprendemos a respeitar o próximo e principalmente a dar valor aos legados que nossos antepassados nos deixaram. Ingressar em uma entidade tradicionalista é ter a certeza que homens e mulheres de bem terão uma boa formação cultural, ética e moral perante a sociedade. É fazer amigos independente de CTG que pertence.  Por último fica aqui minha mensagem: “Aproveitem o caminho, e tudo aquilo que o tradicionalismo lhes proporciona a cada momento, pois tudo é uma experiência única e o trabalho por muitas vezes árduo é compensador, por que tudo que a gente faz com amor vale a pena, cada conquista carregamos com um orgulho enorme e superar as dificuldades é algo maravilhoso.”


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Muito obrigado por sua participação. Seu comentário será publicado em breve. Caso desejar comentar usando o Facebook, siga nossa página na rede!