quinta-feira, 1 de outubro de 2015

Catedral Nossa Senhora da Oliveira


Catedral Nossa Senhora da Oliveira em Vacaria - RS (Foto: Mateus Rosa - Repórter Riograndense)

Tudo  começou no ano 1702 quando o Pe. Mauro Nunes, Superior Provincial dos Jesuítas, resolveu criar a Vacaria dos Pinhais. Esta região já era conhecida pelos padres Jesuítas. O Pe. Cristovão de Mendoza, ministrava aulas de catequese aos índios há cerca de meio século. Por volta de 1692, os Jesuítas haviam levantado nos Campos de Vacaria marcos de pedra com a legenda: “S.J.1692”. Um desses marcos encontra-se guardado no Museu Municipal de Vacaria. Pe. Roque Gonzales, descrevia a região: “Planícies se estendem a perder de vista, descortinando paisagens variadíssimas e rasgando horizontes de dilatada amplidão; alternam com vales risonhos, enquanto lá no alto das serras negreja o verde-escuro pinhal, de copas arredondadas, imponentes no seu silêncio quase religioso, à luz abafada, onde erguem os braços ao céu, como que em súplica muda, mil candelabros gigantes, formados pelas esguias e possantes araucárias”.

 

1740


 Fixavam-se aqui os primeiros povoadores, era o ciclo do tropeirismo.


1750


 No dia 8 de setembro, por volta de 1750 foi encontrada a Imagem de Nossa Senhora da Oliveira. A imagem certamente foi deixada por inspiração Divina ou providencial esquecimento por alguma caravana de tropeiros. Consta na história que em 1637 passou por aqui a Bandeira do Capitão André Fernandes, com o filho, Pe. Francisco Fernandes de Oliveira. Outra caravana portuguesa que poderia ter deixado a imagem aqui, poderia ter sido a de Cristovão Pereira de Abreu, que em 1738 abriu a estrada das tropas para a região das Missões. Esta hipótese é há mais provável. Deste dia em diante, Nossa Senhora da Oliveira, sempre foi honrada como padroeira.

 Por duas vezes, um sacerdote, talvez de Viamão, tentou levar a imagem, para guardá-la em lugar mais seguro, até que fosse construída uma capela melhor. Nas duas tentativas, o sacerdote conseguiu levar a imagem até a boca da serra, hoje São José dos Ausentes. Pensando que tivessem roubado a imagem, retorna a Vacaria e encontra a Imagem no mesmo lugar. Então, convencido de que a repetida e milagrosa ocorrência representava a vontade do Senhor, exigindo que a imagem permanecesse nos campos de Vacaria para sempre, a proteger o povo vacariano. Motivado pelos fatos, o ministro de Deus intercede à autoridade eclesiástica em favor da construção de uma capela.


1761


 No dia 21 de março de 1761, era ereta a Capela de Nossa Senhora da Oliveira.


 No dia 21 de dezembro de 1761, era inaugurada a Capela de Nossa Senhora da Oliveira.  


1768


 No dia 20 de Dezembro de 1768, Dom Antônio do Desterro, Bispo do Rio de Janeiro criou a paróquia de Nossa Senhora da Oliveira. Desde que foi encontrada a imagem da santa, o povo se reunia para as orações nas casas. Depois construíram um pequeno templo, com o passar dos anos, cresceu a população e construíram uma outra igreja.

 

1900


 Em 14 de Janeiro de 1900, foi feito o lançamento da pedra fundamental da nova igreja, hoje Catedral. Para celebrar o evento foi feito uma grandiosa festa.


1904


 As obras da nova igreja paralisaram em 1904. 


1912


 Em 1912 recomeçam os trabalhos de construção da Igreja. 


1914


 Em 1914 as obras da igreja atingiram 4 m de altura, o templo foi levantado todo em pedra Moura,inclusive as torres. Neste ano foi celebrada a primeira missa no interior da Catedral. Mais uma paralisação nas obras por falta de recursos, mesmo assim foi contratado o escultor Mário Zambélli para fazer as esculturas de gesso e cimento nas colunas e no forro da Catedral. 


1931


 É pintada a abóboda da catedral pelo pintor Antônio Cremonese.

 

1934


 No dia 8 de Setembro de 1934, o Papa Pio X, criava a Prelazia de Nossa Senhora da Oliveira. 


1938


 Em Junho de 1938 foi contratado o Sr. João Talaia para a colocação do Piso. 


1942


 Em 2 de Maio 1942, foi abençoada a torre do lado esquerdo e no dia 27 de Agosto do mesmo ano a torre do lado direito. No dia 5 de Outubro foi feito o contrato com Luis Ferrazzi para a fabricação dos bancos No dia 10 de outubro foi inaugurado o trono Episcopal doado pela Paróquia de Sananduva. Em Janeiro deste ano foi encomendado o altar mor da casa Aloys de J. Aloy Friederich de Porto Alegre, todo em mármore cararo com 9 metros de altura, foi inaugurado em Dezembro de 1946. Em maio, foram colocadas as pias de mármore para água benta, oferta de D. Alivia Ferreira dos Santos e a menina Vera Maria Gargioni.

 

1947


 Em agosto e Setembro de 1947 foi rebocada e assoalhada a cripta da Catedral. 


1950


 Em 3 de Junho de 1950 Frei Mateus Dolzan assinava contrato com a firma Segala & Cia. para a construção da casa paroquial da Catedral. A 10 de Janeiro foi contratado o Sr. Emílio Zanon para pintar colunas e algumas paredes, por 100 mil Cruzeiros. 


1953


 A 20 de Janeiro de 1953 foram inaugurados os altares laterais da Catedral. Foram padrinhos Antônio Ribeiro Branco e Dante Mondadori que doaram cada um 10 mil cruzeiros. 


1957


 O papa Pio XII eleva a Prelazia a Diocese, confirmando assim que os cristãos podem caminhar com suas próprias forças. 


1960


 Iniciadas as obras do Salão da Catedral Nossa Senhora da Oliveira. 


2002


 No dia 8 de Setembro de 2002 foi inaugurado o Santuário construído em pedras de Basalto no local onde “dizem” ser o lugar onde foi encontrada a imagem de Nossa Senhora da Oliveira. Este Santuário não está totalmente pronto. 


2003


 Em maio de 2003, por votação popular, a Catedral foi eleita símbolo da cidade de Vacaria. E por decreto do Prefeito Municipal, Sr. Ângelo Pegorado, foi decretado dia 8 de Setembro, feriado religioso no Município.

 

2006


 Durante os meses setembro até meados de dezembro a Catedral na parte externa foi lavada, impermeabilizada. O telhado foi avaliado pelo engenheiro indicado pelo Prefeitura, sr. José de Santo. As madeiras e as tabuinhas estão em perfeitas condições. O Zinco foi lavado, as folhas que apresentavam sinais de ferrugem foram substituidas. Todas as folhas foram repregadas e pintadas. Todas as aberturas receberam pintura nova. As pedras, das pequenas torres ao redor da cobertura, foram fixadas e substituidas quando necessário. As agulhas (ponta das torres) receberam pintura nova, na mesma coloração da inicial.


 No dia 21 de setembro de 2006, José Aquiles Susin, Prefeito Municipal de Vacaria, sanciona a Lei 2.378/2006 que autoriza o Tombamento do Imóvel denominado Catedral Nossa Senhora da Oliveira. 


2007


 No dia 12 de julho de 2007, a Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul votou o projeto do Deputado José Sperotto, propondo a inclusão da Catedral como Bem histórico e cultural do Estado do Rio Grande do Sul. No dia estavam presentes à sessão 47 deputados. Quando o presidente colocou em votação o projeto, o painel mostrou o voto por unanimidade.


 No dia 20 de julho de 2007, a Governadora Yeda Rorato Crusius, sanciona a Lei 12.755 que “declara como bem integrante do patrimônio histórico e cultural do Estado do Rio Grande do Sul a Catedral Nossa Senhora da Oliveira, localizada no município de Vacaria. 


2011


 Nossa Senhora da Oliveira é retirada do alto da Catedral no dia 24 de dezembro de 2010, pesando em torno de 10 mil quilos em uma operação que durou dois dias, a imagem, que comprometia as estruturas da Igreja, foi esculpida na cidade de Caxias do Sul, pelo Ateliê Michelangelo Zambelli a pedido de Nicolau Chedid atravéz de uma promessa feita pela saúde de sua filha.


Catedral da Vacaria


Catedral de Pedra, a riqueza do artesanato, as lidas campeiras, a hospitalidade, a gastronomia, o chimarrão, os hábitos e estilos de vida preservados, mantêm o Município permanentemente atrativo. Uma das mais antigas comunidades do estado, fundada dois anos após a chegada dos primeiros povoadores do primitivo Continente de São Pedro do Rio Grande, adamada pela essência de seus campos e pelos encantos paisagísticos, Vacaria desde o princípio foi motivo de atração: É a Porteira do Rio Grande no tempo e no espaço. Foram os missionários Jesuítas que ainda por volta de 1700 iniciaram a colonização da região deixando gado para se criarem soltos trazidos das Missões, sendo denominada “Baqueria de los Piñales”(Vacaria dos Pinhais). A estrada das tropas, aberta em 1727 e 1729, destinada primeiramente ao comércio de gado, ligou a região dos Campos de Vacaria a Lages, Curitiba e São Paulo. Há poucas décadas, matas de araucária, campos altamente planos e o gado faziam parte da paisagem da região. Hoje, grande parte desses campos está coberta por gigantescas áreas cultivadas com pomares. Vacaria surpreende o visitante com suas agroindústrias de nível internacional. A economia que se baseava na pecuária de corte, e transporte rodoviário fica cada vez mais forte com o desenvolvimento da fruticultura, floricultura e produção de grãos. Atualmente é o segundo maior produtor de maças do Brasil. Ocupa uma posição de destaque como produtor e exportador de mudas de flores e inova com a introdução de frutas silvestres, como amora, mirtilo e framboesa, além da fabricação de queijos, semelhantes à Grana Padamo, da milenar tradição italiana.


 Vacaria é um dos municípios do Rio Grande do Sul em que se manifesta mais vivo o culto popular às tradições gauchescas. Como a música, a dança, a tradição dos galpões, dos acampamentos os causos à beira do fogo e risos evocam-se as lendas campeiras na vibração de um povo que assumiu com alegria o patrimônio legado pelos antepassados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Muito obrigado por sua participação. Seu comentário será publicado em breve. Caso desejar comentar usando o Facebook, siga nossa página na rede!